Análise das Coisas pode determinar quem fica e quem sai nos próximos anos

Por Monica Tyszler - diretora de Soluções e Serviços do SAS América Latina​


Quando falamos em Internet das Coisas e os mais de 50 bilhões de dispositivos conectados até 2020, estamos também tratando de uma verdadeira explosão de dados gerados por smartphones e os mais diversos dispositivos conectando objetos do dia a dia, de geladeiras a carros.  São valiosos ativos para muitas empresas que dependem de inteligência para conhecer melhor seus clientes e impulsionar os negócios.

Para trabalhar com quintilhões de bytes coletados todos os dias, as empresas estão buscando mais do que infraestrutura e serviços de armazenamento de dados – elas querem estruturar e aproveitar o valor dos dados. Atualmente, ser dono da informação não basta – é preciso saber usá-la corretamente, como um “sexto sentido” dos negócios. É aí que entra o papel da Análise das Coisas, ou AoT.

De acordo com a Frost & Sullivan, o mercado da IoT deverá movimentar US$ 19 trilhões em novos negócios e oportunidades até 2025 – montante do qual US$ 7,3 trilhões serão liderados por ferramentas de Analytics. As empresas que quiserem uma parcela desse faturamento deverão aproveitar o ativo mais valioso do século 21 – a inteligência.

Atualmente, o trabalho de Business Intelligence e Analytics configura um dos principais desafios das companhias, principalmente em indústrias historicamente mais tradicionais, como o setor varejista, que ainda caminha a passos curtos nessa transformação tecnológica. E para essa indústria, que trabalha diretamente com o consumidor final, estudar e até prever o comportamento do cliente é algo vital na competitividade.

Na saúde, outro exemplo, a capacidade de analisar dados de aparelhos de monitoramento de pacientes pode não só diminuir os custos abusivos de tratamento, como também salvar vidas de forma preventiva. E correlacionar esses dados pode trazer importantes insights sobre novas doenças e tratamentos.

Diante desse cenário, o conceito de Análise das Coisas representa uma oportunidade para trabalhar com inteligência de formas cada vez mais dinâmicas. Para acompanhar a velocidade das mudanças mercadológicas e dos consumidores, poderosas ferramentas de análise e captura de dados já são adotadas para trabalhar com o Big Data e a IoT de forma ágil e assertiva.

Para fazer essa captura e processamento, plataformas como o Hadoop estão cada vez mais conceituadas no trabalho com milhares, milhões e até bilhões de dispositivos gerando informações relevantes sobre o modo como nos relacionamos com produtos e serviços. Esse ambiente demanda soluções de analytics com profundidade de BI convencional, flexibilidade do self-service, velocidade do real-time analytics e a acessibilidade da cloud.

Esse avanço tecnológico está permitindo que as empresas lidem com as mudanças rápidas pelas quais a informação é transformada em dias e até horas. E quem ficar para trás terá dificuldade em sobreviver, pois a capacidade de capturar e transformar dados em inteligência serão cada vez mais determinantes na estratégia de negócios e na competitividade dos próximos anos. 

Saiba mais sobre como as empresas estão juntando IoT e análises de grau industrial neste relatório do Blue Hill Research:


Foto de Monica Tyszler - 2015

Formada em Engenharia de Produção Mecânica pela PUC, no Rio de Janeiro (RJ), Monica Tyszler possui mestrado em Engenharia Industrial e de Sistemas pela University of Southern Califórnia, Los Angeles (EUA). Em seu currículo, a diretora de Soluções e Marketing do SAS possui passagens por outras grandes empresas de TI, como IBM, além de atuar no mercado financeiro, em especial nas empresas Losango e Globopar. Com grande experiência em Inteligência Analítica, Risco e Customer Experience, a executiva está à frente da área de pré-vendas do SAS e lidera também a equipe de especialistas da companhia em soluções estratégicas.

iot-seminar-header - Email Header 2

Leia mais

  • Saiba mais sobre como as empresas estão juntando IoT e análises de grau industrial neste relatório do Blue Hill Research, IoT Analytics na prática.

Quer mais Insights?


Volte com frequência para obter mais insights sobre tópicos de seu interesse, incluindo analytics, big data, data management, marketing, e risco & fraude