Casos de Sucesso /

SAS São Paulo
Praça João Duran Alonso, 34 - 11º. Andar - Brooklin
Tel: 11 4501 5300
www.sas.com/br/

Casos de Sucesso

Versão para impressãoVersão para impressão

Casos de Sucesso

 

Dados Saudáveis para o paciente

Com a implementação do Enterprise Miner em seu departamento de Atuária e Estatística, a Golden Cross acrescenta agilidade, precisão e confiabilidade ao processo de transformação dos dados em informações estratégicas para toda a organização

Identificar os sintomas, avaliar os riscos, estabelecer um diagnóstico preciso e escolher o tratamento mais adequado. Acompanhar a evolução do quadro, monitorar possíveis recaídas e antever prováveis efeitos colaterais. Esses e tantos outros procedimentos são uma constante no campo da assistência médica. Seja em consultas de rotina ou em casos de urgência, tais elementos são pontos básicos para garantir um atendimento eficaz e confiável, e por consequência, o bem-estar do paciente.

Atualmente, é possível dizer que a adoção dessas boas práticas não se restringe apenas aos limites dos consultórios, clínicas e hospitais qualificados, pois muitos desses conceitos já estão no cerne das estratégias de diversas corporações. Assim, cada vez mais o mercado nos fornece exemplos de empresas que buscam incessantemente a melhor receita e a dosagem certa para manter a saúde de seus negócios, em um contexto que também envolve fatores como agilidade, precisão e credibilidade.

Não é preciso ir muito longe para atestar esse direcionamento que vem sendo colocado em prática pelas companhias. Uma das principais referências nacionais no setor de Saúde Suplementar, a Golden Cross lida diariamente com o desafio de oferecer um padrão de excelência no atendimento, seja ele voltado ao usuário final, ou centrado na satisfação das demandas geradas por seus parceiros, colaboradores e público interno, além das particularidades do mercado em questão.

A questão da conformidade

No segmento de Saúde Suplementar, um dos pontos-chave na dinâmica dos negócios é a necessidade de se estar em conformidade com as diversas resoluções geradas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), órgão vinculado ao Ministério da Saúde e que responde pela regulação, normatização, controle e fiscalização de todas as atividades relativas ao setor.

No início de 2010, por exemplo, a ANS divulgou um novo rol com a inclusão de 70 procedimentos médicos e odontológicos que deverão ser cobertos pelos planos de saúde a partir do mês de junho. Juntamente com essa diretriz, o órgão salientou a intenção de revisar periodicamente esses processos a cada dois anos. Outra resolução normativa instituída pela agência em 2009 versava sobre a portabilidade e estabelecia que os segurados pudessem trocar de operadora sem carência e com direito às mesmas coberturas.

"Cada nova regulamentação traz um impacto considerável para as operadoras, já que muitos dos procedimentos listados não estão previstos nas rotinas. Para se adaptar às práticas e prazos dessa nova realidade, você tem que contemplar esses processos com rapidez e, ao mesmo tempo, avaliar quais as conseqüências que eles trarão para os negócios", explica Jacqueline Fraga, coordenadora do Departamento de Atuária e Estatística (DA) da Golden Cross.

Evolução das demandas

Para enfrentar esses e outros desafios impostos pela evolução de suas operações, como a minimização da ocorrência de fraudes e inadimplência, e a identificação dos produtos de maior risco, a Golden Cross diagnosticou que era preciso investir em ferramentas que proporcionassem a conformidade e precisão dos dados, juntamente com uma maior agilidade na obtenção dessas informações.

Com essa demanda em mente, a operadora decidiu aprimorar os processos realizados pelo Departamento de Atuária e Estatística, área responsável por capturar, organizar e gerar análises e informações que servem como base para a tomada de decisão em diversos níveis da organização. Usuário desde 1995 dos módulos BASE e STAT, do SAS, o departamento evoluiu em 2007 para a implementação da solução Enterprise Guide em suas rotinas.

Jacqueline explica que os primeiros anos do projeto com o SAS foram essenciais para a criação de uma base de dados sólida, consistente e confiável, o que já diferenciava a Golden Cross em relação aos seus concorrentes e destacava o próprio trabalho do departamento como um elemento de extrema importância, especialmente por atender com cada vez mais eficiência às necessidades que evoluíam nos limites da própria Golden Cross e apoiar toda sorte de estratégias implementadas pela organização.

"O problema está no fato de que quanto mais informação você fornece, mais essa base cresce e na mesma medida, as demandas por mais que os dados também evoluam. O departamento já não estava dando conta dessas operações e por isso a Golden Cross decidiu investir no Enterprise Guide, o que permitiu automatizar a geração dos relatórios gerenciais".

Precisão cirúrgica

Inicialmente, o departamento utilizou o Enterprise Guide para a automação de 15 rotinas e hoje a ferramenta já abrange 50 relatórios gerenciais. Os ganhos em termos de velocidade nesses processos são ressaltados pela coordenadora, que também aponta um outro aspecto positivo proporcionado pela solução.

"Quando você formata um modelo do documento e estabelece os parâmetros necessários para aquele determinado fim, imediatamente o Guide gera um relatório que servirá como padrão para essas mesmas operações no futuro, o que evita o retrabalho. Ao mesmo tempo, todo conteúdo é disponibilizado em HTML e vai para a intranet, que permite ao executivo acessá-lo sempre que precisar".

Na prática, essa otimização também se estende as outras esferas, como maior espaço nos servidores, já que a linguagem HTML ocupa muito menos espaço que as planilhas de Excel utilizadas anteriormente. Ao mesmo tempo, ela vem sendo demonstrada com a constatação de que rotinas que levavam dias para serem executadas, hoje são realizadas em questão de minutos. Porém, de acordo com Jacqueline, os benefícios da implementação não se resumem apenas ao âmbito da agilidade.

"O grande diferencial é ter informação rápida e precisa, pois o Guide permite manipular uma grande base de dados em um curto espaço de tempo, além de dar confiabilidade aos dados, o que é uma carência que nós detectamos em outras empresas desse mercado. Ele fornece todos os dados do cliente. Isso nos permite definir estratégias e verificar os resultados das ações desenvolvidas junto aos usuários".

Controle ampliado

A possibilidade diferenciada de trabalhar os dados sob diferentes prismas e enfoques é mais uma vantagem conquistada com a adoção do Enterprise Guide e a consequente evolução do projeto. A base cadastral construída pela Golden Cross hoje inclui informações que permitem traçar um panorama completo do segurado, ao trazer o histórico desse cliente na sua relação com a operadora, o que inclui fatores como o valor e os caminhos utilizados para determinado atendimento.

"Antes, os dados já vinham consolidados para que nós gerássemos as informações. Se algum desvio fosse detectado, não era possível se aprofundar nessa ocorrência. Agora nós temos um nível de detalhe e conseguimos checar registro a registro, associado por associado, o que amplia o monitoramento e a segurança nesses processos, além de minimizar os erros".

Esse estágio de detalhamento também fornece uma gama maior de recursos para que o departamento possa controlar os riscos inerentes ao negócio e consiga tratar de forma extremamente apurada um dos aspectos fundamentais de um mercado que trabalha com margens reduzidas de lucro.

"Nós somos responsáveis pela formação do preço e também pelo reajuste dos produtos. Sendo assim, as facilidades e aplicações fornecidas pela ferramenta fazem com que possamos ter informações mais robustas para garantir a margem de solvência da empresa", afirma Jacqueline.

Ao mesmo tempo, a coordenadora lembra que essa abordagem também contribui para que a Golden Cross cumpra outra exigência da ANS, que a cada trimestre solicita o envio de informações detalhadas das operadoras para liberar o reajuste de seus planos.

Estudos estratégicos

Jacqueline ressalta ainda o fato de que a união dos esforços da equipe de Atuaria e Estatística com os benefícios gerados pela adoção do Enterprise Guide possibilitou enormes avanços operacionais e trouxe maior disponibilidade para os analistas do departamento, o que se traduziu em uma nova esfera de atuação para esses profissionais dentro da Golden Cross.

"Todo esse processo permitiu a liberação do nosso time para pensar em novos estudos e questões estratégicas para a empresa, como a evolução de alguns produtos e a avaliação mais profunda dos resultados de determinadas iniciativas desenvolvidas pela operadora no mercado".

Ela reforça que antes do desenvolvimento do projeto com as soluções SAS, essas iniciativas também aconteciam, porém, com uma frequência infinitamente menor comparado com o que é hoje pelo fato de os colaboradores terem grande parte do seu tempo comprometido com a elaboração dos relatórios.

"Antes, grande parte do nosso trabalho se destinava à geração de rotinas. Hoje, a formatação inicial de um relatório ainda demanda um esforço considerável, mas depois que você finaliza esse procedimento, não precisa mais repeti-lo. Na medida em que esses padrões vão evoluindo, nós observamos ganhos extremos no campo da produtividade".

Novo patamar

Paralelamente a todos as vantagens proporcionadas com o crescimento do projeto, a atuação e o comprometimento do Departamento de Atuária e Estatística ao longo desse processo contribuiu para que o setor construísse passo a passo um forte caráter de credibilidade na relação com outras áreas da Golden Cross e acabou por alçar o setor a uma nova escala de importância aos olhos de toda a organização.

Jacqueline comenta que hoje, praticamente todas as informações necessárias para a tomada de decisão na empresa passam pelo departamento. Ao mesmo tempo, quando acontece alguma inconsistência em outros setores, os profissionais da DA são chamados para validar ou não esses dados, pelo fato deles terem condições de entender o negócio da operadora como um todo.

"Nós passamos para a empresa a ideia de que é muito fácil capturar a informação, diante da velocidade que a gente sempre entrega o que nos pedem. Meu diretor costumava brincar, dizendo: não é só apertar um botão? O Enterprise Guide permitiu a realização desse sonho", conclui.

ENTERPRISE MINER: O PRÓXIMO PASSO

O Departamento de Atuária e Estatística planeja agora evoluir em outra solução do SAS, que também começou a ser implementada em 2007, mas que, a princípio, ficou em segundo plano com o projeto de consolidação das operações no Enterprise Guide.

Jacqueline afirma que o DA atingiu seu objetivo com o Guide e agora quer se dedicar mais aos processos analíticos, ou seja, a integrar inteligência a essas informações coletadas, recursos propiciados pelo Miner.

"O Guide aponta qual é o comprometimento de renda do segurado. Com a mineração dos dados é possível ir além e identificar parâmetros como o perfil de risco desse cliente e mesmo o perfil de atendimento de um prestador", explica.

Com a base consistente já proporcionada pelo Enterprise Guide, a coordenadora ressalta que o desafio do departamento agora é ampliar a gestão desses processos, para que ele seja capaz de transformar essas informações em conhecimento, e para que esse conteúdo possa ser disseminado por toda a corporação.

Copyright © SAS Institute Inc. All Rights Reserved.

Jacqueline Fraga, coordenadora do Departamento de Atuária e Estatística (DA) da Golden Cross

Golden Cross

Desafio de Negócio:
Minimizar a ocorrência de fraudes e inadimplência, além de aumentar a confiabilidade das informações.
Solução:
Com a implementação do Interprese Guide, a Golden Cross conseguiu manipular uma grande base de dados em um curto espaço de tempo. Além disso, acrescentou agilidade, precisão e confiabilidade ao processo de transformação dos dados em informações estratégicas para toda a organização.
Benefits:
" Todo esse processo permitiu a liberação do nosso time para pensar em novos estudos e questões estratégicas, como a evolução de alguns produtos e a avaliação mais profunda dos resultados de determinadas iniciativas desenvolvidas pela operadora no mercado" - Jacqueline Fraga, Coordenadora do Departamento de Atuaria, Preços e Estatística (DEAPE) da Golden Cross.
Volume de dados:
Jacqueline Fraga, Coordenadora do Departamento de Atuária, Preços e Estatística (DEAPE) da Golden Cross, afirma: "...as facilidades e aplicações fornecidas pela ferramenta fazem com que possamos ter informações mais robustas para garantir a margem de solvência da empresa."